O conceito de Economia Circular constitui uma ferramenta de enorme potencial para a construção da sustentabilidade de que tanto se fala. Das diferentes teorias em que está enraizada até às muitas e variadas aplicações práticas que existem em Portugal.

No meio de tantos conceitos novos que bombardeiam as cidades e deixam os seus responsáveis políticos, técnicos e até cidadãos confusos e indecisos sobre os caminhos a seguir ou que decisões tomar. Palavras chave como “sustentabilidade”, “eficiência”, “sensibilização”, “optimização”, etc. assaltam em constante os discursos e nem sempre se torna fácil garantir que existe uma direta correspondência entre a palavra e as ações.

No ZOOM SMART CITIES 2017, sob o mote “Love the Future”, vamos ouvir muitas destas e outras palavras-chave. Mas vamos ouvir da boca de quem tem realmente autoridade e experiência confirmada em projetos que se tornaram casos de estudo globais e que resultaram em ganhos efetivos para as comunidades.

A Economia Circular é uma das tendências globais neste momento, pretende dinamizar boas práticas fazendo da reciclagem e da “inteligência” industrial novos produtos a partir de outros cujo ciclo de vida, em teoria estaria terminado. Trata-se não de um chavão mas de uma alteração de paradigma económico e social com enorme potencial para o futuro das cidades, especialmente das que sofreram com a globalização e cujas atividades principais esmoreceram ou até desapareceram.

Abrir novas perspectivas e alternativas para dinamizar a economia das cidades através dos recursos ao seu alcance, poupando e gerindo de forma inteligente e com estratégia definida, será uma constante o ZOOM SMART CITIES 2017 e para tal contamos com a fundadora da plataforma Economia Circular Portugal.

Lindsey Wuisan, depois de um Mestrado em Ciências Ambientais pela Universidade de Wageningen, trabalhou durante 5 anos como legisladora para o Ministério do Ambiente da Holanda. Em 2016, decidiu trocar a Holanda por Portugal, substituindo a teoria pela prática e as palavras pelas ações. A sua dedicação ao desenvolvimento sustentável e à promoção da economia circular mantêm-se.