O evento de lançamento do desafio SMARTATHON’17 decorre durante a conferência ZOOM Smart Cities.

O acelerado crescimento da população fez com que as cidades tenham vindo a assumir, nos últimos anos, um papel pioneiro na transição para um modelo de governância centrado na dimensão urbana e baseado na iniciativa dos cidadãos. Assim, a qualidade de vida é um vetor central da dimensão estratégica da gestão urbana, na orientação para cidades mais inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis. Continuidade e renovação são palavras-chave: a identidade urbana afirma-se pela revalorização do papel dos patrimónios cultural, histórico, natural, artístico, económico no tecido urbano; a resposta aos desafios globais e societais através de elementos centrais como a inovação, o dinamismo económico, a criatividade e a exigência de patamares mais avançados de qualidade de vida e sustentabilidade.
Neste quadro, a visão de cidades inteligentes é uma resposta aos desafios e paradigmas do futuro.
A “cidade do futuro” é uma cidade mais justa, uma cidade mais participada, uma cidade mais saudável, uma cidade mais acessível, uma cidade mais sustentável, uma cidade mais inteligente.
A cidade do futuro, contribui, com a sua dimensão local, de forma decisiva para a mudança global.
Uma Smart City, uma cidade inteligente, é uma cidade onde inovação e tecnologia são eficientemente usados em benefício de cidadãos, empresas e instituições. Com esta visão, a União Europeia tem vindo a apostar – e investir- na investigação e inovação em TIC e a desenvolver políticas para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e a sustentabilidade urbana. Concretizar esse desígnio – de sustentabilidade, de melhoria de qualidade de vida, de definição de um novo paradigma urbano – requer intervenções convergentes, em Projetos Transformadores, orientados para a resposta múltipla a diversos desafios, por exemplo em áreas que se poderiam identificar por palavras-chave tais como: Pessoas, Habitação, Conhecimento, Iluminação Luz, Água, Clima, Resíduos Espaço e Energia.
O DREAM é um consórcio candidato ao programa H2020-Smart Cities and Communities. O projeto surge da ambição de seis cidades europeias em partilhar objetivos de inovação para o futuro, para os seus cidadãos, para combater desafios globais, para gerar inovação urbana e para reforçar a dimensão urbana do “sonho europeu”. O projeto DREAM tem como objetivo o design, a integração e a implementação de soluções ambiciosas e extremamente inovadoras, com capacidade de serem partilhadas de forma global, assim como a criação de comunidades resilientes num contexto de mudança da cultura urbana.
O projeto DREAM é o projeto enquadrador da SMARTATHON’17.
O projeto DREAM tem por objetivo demonstrar soluções que integram edifícios, infraestruturas e redes inteligentes, armazenamento de energia, veículos elétricos e sistemas de carregamento bem como a última geração de plataformas TIC com base em especificações abertas, afirmando a cidade de Guimarães e Portugal como foco de desenvolvimento.
A participação, sob um paradigma aberto e colaborativo é um pressuposto da “cidade do futuro”. A cocriação de ideias, conceitos e soluções urbanas, o codesenvolvimento de cidade enquanto espaço orientado para o seu bem-estar e qualidade de vida, são desafios permanentemente renovados. É neste quadro que se integra o presente desafio SMARTATHON’17.
Com o SMARTATHON’17 pretende-se exercitar e encorajar a participação num desafio de construção da cidade do futuro.
O objetivo do SMARTATHON’17 é o de debater estratégias tecnológicas e sociais para resolver desafios urbanos mediante técnicas associadas ao design thinking, conhecimento colaborativo, cocriação e inteligência coletiva, com o objetivo de reinventar a cidade com ideias orientadas para a sustentabilidade e a resposta aos desafios globais e urbanos.
O projeto DREAM será submetido ao programa H2020 em 2018. O desafio SMARTATHON’17 enquadra-se no processo de co-criação inerente ao desenvolvimento das componentes inovadoras do projeto DREAM. O projeto DREAM é liderado pela cidade de Guimarães, com a participação das cidades de Vilnius, Salónica, Weimar, Dundee, Salamanca, Timisoara e Kharkiv.

Designação
SMARTATHON’17 – desafio de cocriação de conceitos para cidades inteligentes

Data
Lançamento: Lisboa, NOVA-IMS Campus, 7 junho 2017

Inscrição e pré-seleção
Através do seguinte e-mail: paula.peiro@dream-smart.city;
O evento de lançamento do desafio SMARTATHON’17 decorre durante a conferência ZOOM SmartCities.
O SMARTATHON’17 é jornalisticamente coberto pela Revista SmartCities.
A equipa vencedora será convidada a apresentar o seu projeto no quadro de uma potencial cooperação da sua universidade ou estabelecimento do ensino superior na candidatura do projeto DREAM a submeter em 2018 ao programa H2020-SCC01 no âmbito das intervenções